Gestão da diversidade: saiba o que é e como fazê-la em sua empresa!

151 Hs Contabil - Contabilidade em Santo André - SP | HS Contábil

Entenda nesse artigo como aplicar a Gestão da Diversidade nas empresas

Você sabia que investir na Gestão da Diversidade é importante para as organizações e para as pessoas que as compõem? Nesse artigo vou lhe apresentar informações conceituais e o passo a passo na prática para aplicar este relevante planejamento na sua empresa. Vamos lá!

O que é Gestão da Diversidade?

Trata-se de um planejamento a curto, médio e longo prazo da inclusão de pessoas diversas em uma empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte, considerando sua chegada, permanência, desenvolvimento e legado na organização.

Vai além de uma política restrita aos Recursos Humanos, considerando que, além de profissionais de RH, há a necessidade de profissionais de marketing, employer branding e demais áreas que trabalham juntas pela construção de um time plural. É notável que organizações que abraçam a diversidade e inclusão são organizações mais inovadoras, criativas, com times mais motivados.

Com isso, nos últimos anos, houve uma crescente busca por empresas e profissionais que prestam serviços especializados em Diversidade e Inclusão (D&I).

Em plataformas de vagas de emprego, por exemplo, é possível observar vagas em aberto voltadas para contratação de profissionais em D&I, dentre as quais, cita-se vagas de Analistas e Especialistas em Diversidade e Inclusão.

Uma gestão da diversidade exitosa é aquela que contempla a diversidade, equidade e inclusão. Embora, estes termos sejam utilizados como sinônimos no dia a dia, possuem conceitos distintos. Na sequência, apresento-lhe estes conceitos:

O que é diversidade?

Diversidade é a pluralidade de culturas, identidades, experiências e trajetórias. Todos, todas e todes somos diversos, independente do local onde nascemos ou de características físicas e emocionais.

O que é inclusão?

Inclusão é um conjunto de ações que proporcionam acesso igual de participação, direitos, e oportunidades para todos, todas e todes.

O que é equidade?

Equidade é quando você precisa aplicar um tratamento diferenciado a fim de corrigir distorções na sociedade. Uma vez  que as necessidades de cada grupo são diferentes e desiguais, tornam-se necessárias políticas que ofereçam igualdade de oportunidades. Um exemplo é a diferença salarial entre gêneros que ocupam cargos semelhantes. É necessário analisar, corrigir, e oferecer cargos com equidade salarial e de oportunidades.

Como fazer a Gestão da Diversidade na prática?

Primeiramente, é necessário desenvolver um plano de ação que deve olhar para todas as etapas do funil da diversidade e inclusão, desde a atração até a revisão das políticas de remuneração e desenvolvimento dentro da organização.

De acordo com a Tree Diversidade (2021), para a construção do planejamento da Gestão da Diversidade, as seguintes etapas devem ser executadas:

Etapa 1) Atração

É importante que a empresa revise os processos de atração. Isso irá trazer talentos de grupos minorizados, otimizando o funil de diversidade, além de consolidar a marca no mercado como empresa que apoia a diversidade. Em uma pesquisa global realizada pela McKinsey, 39% das pessoas ouvidas sinalizaram que já recusaram um emprego por não enxergarem inclusão na organização.

O número é alto e quase homogêneo: mulheres, homens, pessoas negras, pessoas brancas, pessoas LGBTQIAP+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Trangêneros, Queer, Intersexo, Assexuais, Pansexuais e Mais)  e pessoas heterossexuais formaram consenso e sinalizaram que D&I é um fator que consideram na hora de escolher uma vaga de emprego.

Etapa 2) Recrutamento e Seleção

Nessa etapa, a empresa deve olhar para a eliminação dos vieses discriminatórios que possam existir, além de garantir uma experiência acolhedora às pessoas que participam do processo. Uma alternativa é contratar um profissional de RH que seja especialista em D&I, para que o processo de Recrutamento e Seleção seja inclusivo para todos, todas e todes.

Além disso, é necessário também se atentar aos processos existentes, como job descriptions (descrição do trabalho) e acessibilidade nas entrevistas de emprego. A entrada de um talento em uma empresa deve ser uma experiência acolhedora e empolgante. Por isso, é necessário dedicar muita atenção nessa etapa.

Etapa 3) Retenção

A construção de um ambiente de trabalho saudável e respeitoso aumenta a permanência do/a/e colaborador/a/e na organização, reduzindo os indicadores de turnover. E como mencionado, times plurais são times mais criativos, inovadores e motivados.

Nesta etapa, é necessário buscar promover ações que gerem pertencimento na equipe, como meses temáticos, workshops e grupos de discussão, visando entender os motivos dos desligamentos voluntários e involuntários dos profissionais que pertencem a grupos minorizados. Uma sugestão é buscar materiais e informações orientativas, como exemplo: disponibilizadas pela TransEmpregos, Coletivos de Diversidade e Inclusão, Mães pela Diversidade, onde há materiais, informações para acesso gratuito.

Etapa 4 ) Progressão

A inclusão plena só acontece quando os talentos de diversidade estão presentes nas mais diversas áreas do negócio (financeiro, contábil, comercial, marketing, RH, etc.) e em posições hierárquicas (estágio, analista, coordenação, gerência, liderança, etc.).

Por isso, nesta etapa deve-se olhar para os desafios que impedem a plena progressão destes talentos, como criar incentivos e políticas internas para que o desenvolvimento de carreira desses colaboradores aconteça.

Etapa 5 ) Remuneração

Esta etapa é muito importante e ratifica o compromisso da empresa com a diversidade. Nesta etapa a empresa deve corrigir o desvio salarial entre funcionários de mesmo nível hierárquico, experiência e que exercem atividade de mesmo valor.

Ainda, pode fazer a análise do diversity pay gap, como gender pay gap, para mensurar de forma clara os gargalos da organização. Para isso existem processos e ferramentas mais adequados, e a sugestão é buscar por empresas especializadas no assunto para prestar o melhor suporte de maneira direcionada para sua empresa.

Eliminar vieses inconscientes

As oportunidades de ingresso e crescimento na empresa devem ser equitativas. Logo, busque entender os desafios apresentados por diferentes grupos e, na medida do possível, promova adequações que permitam o desenvolvimento máximo das capacidades dos colaboradores. Para que isso aconteça, trabalhe para eliminar os vieses inconscientes presentes em todas estas etapas do seu funil.

E aí, com base nas informações apresentadas, quanto ao conceito, contextualização, importância e todas as etapas na prática, bora aplicar a Gestão da Diversidade na sua empresa?

Fonte: Contábeis

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

QUERO AJUDA DE UM ESPECIALISTA

Se você precisa de serviço relacionado ao artigo ou necessita de maiores informações sobre o assunto, conte conosco, da HS Contábil.

Somos um escritório contábil focado em ajudar micro, pequenas e médias empresas a melhorarem sua gestão, a alcançarem resultados incríveis e a crescerem.

Entre em contato conosco utilizando as informações disponibilizadas em nosso website, caso você prefira, você pode utilizar a ferramenta própria de chat disponibilizada em nosso site.

Estamos apenas te esperando.

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post post
Gestão da diversidade: saiba o que é e como fazê-la em sua empresa!

Compartilhe nas redes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo
Recomendado só para você!
Em momentos de crise, percepções simplistas sobre os negócios prejudicam…