Contratação de profissionais PJs e modernização das relações de trabalho; saiba mais.

Blog Aut Curadoria (hs Contabil) - Contabilidade em Santo André - SP | HS Contábil

Pejotização da relação laboral: entenda sobre esse tema relevante para o Direito do Trabalho

No dia 08 de fevereiro deste ano, a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal enfrentou um tema relevante para o Direito do Trabalho nos autos da Reclamação nº 47843, movida pelo Instituto Fernando Filgueiras – IFF. Trata-se da chamada pejotização da relação laboral, que consiste na contratação de colaboradores como pessoas jurídicas, ou seja, não pertencentes ao quadro de efetivos empregados.

No caso concreto, o Instituto questionava decisão proferida pela 8ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho nos autos do AIRR nº 0000267-20.2016.5.05.0010, a fim de que se reconhecesse a licitude da contratação de médicos como pessoas jurídicas, sob o fundamento de que os profissionais são hipersuficientes, bem como que o STF já se posicionou pela constitucionalidade na terceirização de atividade-fim no julgamento da ADPF nº 324.

Ao enfrentar a questão, a 1ª Turma, por maioria, deu provimento à Reclamação para considerar lícita a pejotização em relação aos médicos do Instituto, o que se acredita ir ao encontro da modernização das relação de trabalho, aproximando da realidade a conexão empresa/trabalhador.

Isso porque, na prática, os próprios colaboradores considerados hipersuficientes não querem a contratação na modalidade celetista, pois os encargos trabalhistas, fiscais e previdenciários diminuem consideravelmente a contraprestação de seu trabalho.

Relações

Ademais, diante da modernização das relações de trabalho e do acesso à informação, não é mais razoável que um profissional com esse nível intelectual e elevado ganho não tenha a discricionaridade de decidir como se relacionar com as empresas.

Importante alertar, porém, que a decisão não significa que qualquer obreiro poderá se tornar pessoa jurídica, nem que a pejotização tenha validade apenas para médicos, mas sim que o julgado abrange os considerados hipersuficientes, em especial os que exercem atividades de cunho mais intelectual e artístico.

Além disso, é certo que a decisão da 1ª Turma foi por maioria, com um placar apertado de 3 a 2, o que demonstra não ser esse posicionamento uma unanimidade na Corte Suprema, sendo possível que o tema ainda seja rediscutido no Plenário do STF, onde será possível a participação dos 11 Ministros integrantes.

Contudo, ainda assim, mostra-se um grande avanço para a constante modernização das relações laborais, uma vez que o STF vem se utilizando do princípio da adequação social para adaptar o ordenamento jurídico aos fatos produzidos pela sociedade.

Fonte: Contábeis

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Se você precisa de serviço relacionado ao artigo ou necessita de maiores informações sobre o assunto, conte conosco, da HS Contábil.

Somos um escritório contábil focado em ajudar micro, pequenas e médias empresas a melhorarem sua gestão, a alcançarem resultados incríveis e a crescerem.

Entre em contato conosco utilizando as informações disponibilizadas em nosso website, caso você prefira, você pode utilizar a ferramenta própria de chat disponibilizada em nosso site.

Estamos apenas te esperando.

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post post
Contratação de profissionais PJs e modernização das relações de trabalho; saiba mais.

Compartilhe nas redes!

Rolar para o topo
Recomendado só para você!
Conheça o modelo de plano de expansão empresarial que vai…